NEGOCIAÇÃO QUADRIMESTRAL PASSOU POR DOZE ASSUNTOS

Publicado em  por  

Além da PLR, outros temas estiveram em debate e negociação entre sindicatos e a empresa durante a última terça-feira, 26/06, relacionados a discussão quadrimestral de assuntos diversos das relações de trabalho, da avaliação funcional e de saúde e segurança.

reunião 4

Júlio Shigeaki Omori fala aos sindicatos sobre as novas tecnologias na DIS

Inovações tecnológicas na distribuição

Um panorama de mudanças tecnológicas em processamento na DIS foi apresentado aos sindicatos por Júlio Shigeaki Omori, Superintendente Smart Grid da Copel, apontando novos equipamentos que estão em instalação no sistema, ligados às novas tecnologias de comunicação.

Os novos equipamentos permitem condições mais seguras de trabalho. Segundo Omori, a Copel é uma das empresas mais adiantadas na adoção dessas tecnologias, que informam e atuam nos possíveis defeitos no sistema, permitindo que sejam informados e imediatamente, isolando a suspensão de energia automaticamente por quadras nas cidades, evitando interrupções no fornecimento e agilizando serviços de reparos.

Os sindicatos fizeram perguntas ao Superintendente, em especial sobre impactos dessas novas tecnologias na segurança, nas relações de trabalho e possíveis centralizações, transferências e extinções de postos de trabalho decorrentes delas. O representante da empresa disse que a operação dessas tecnologias de ponta e muito mais segura e vão exigir novas capacidades e especialidades dos copelianos. Informou que no futuro próximo certas características de trabalho e funções vão se extinguir e outras serão necessárias em campo, com aptidões diferentes.

Padronização de horários dos eletricistas

A Copel padronizará os horários para eletricistas, para toda Companhia, saneando problemas com os horários flexíveis.

Terceirização da frota de veículos

A Copel enviará nos próximos dias aos sindicatos a NAC REVISADA relativa ao assunto, para conhecimento detalhado e avaliação.

Parecer do MT sobre vale-alimentação

Os sindicatos pediram a Copel informações sobre questionamentos do Ministério do Trabalho – MT, relacionados ao pagamento do 13º Vale alimentação aos copelianos.

A Copel informou que respondeu aos questionamentos do Ministério e que o órgão não aceitou os argumentos da empresa em favor do benefício, mas que ainda está buscando reverter o entendimento do Ministério.

Lembrando que esse benefício nasceu de negociações de Acordo Coletivo entre a empresa e os sindicatos, as entidades sindicais solicitaram acesso aos questionamentos do Ministério do Trabalho, para também avaliarem junto a suas assessorias jurídicas possíveis medidas em defesa do que entendem ser direito conquistado em livre-negociação. A Copel irá disponibilizar aos sindicatos a notificação recebida do MT.

Limitação de férias na DIS

Os sindicatos voltaram a questionar a situação de férias na DIS, no período de outubro até março, solicitando alterações na circular que limita a liberação de férias a 5% do quadro. A empresa não atendeu ao pleito, alegando que o procedimento se deve à demanda alta de serviços no período.

Custeio de exames complementares

Os sindicatos reivindicam da Copel que a área médica avalie pedidos de exames complementares, quando da realização de exames periódicos. As entidades sindicais lembraram que há casos em que o exame complementar não está previsto no rol ou requisições de exames possíveis de serem custeados, impossibilitando a emissão de laudos pelo médico, com a solicitação.

A Copel aceita esse custeio, havendo justificativas para exames complementares e pede que casos específicos sejam encaminhados, para análises específicas.

Os sindicatos solicitaram uma reunião com participação também da Fundação Copel, para discussão de exames periódicos e dos planos de saúde.

Fornecimento de uniformes antichama

A Copel informou aos sindicatos que já foi substituído o lote de uniformes que não estava de acordo com as especificações técnicas para garantia de segurança, e os novos uniformes, adequados, já estão distribuídos aos empregados. O procedimento foi solicitado pelos sindicatos em reunião anterior.

Fornecimento de lista de afastamentos médicos

Os sindicatos solicitaram da Copel lista de afastamentos médicos de empregados, para um diagnóstico dos problemas, detecção de problemas recorrentes e avaliação de possíveis relações com o ambiente de trabalho. A Copel vai analisar o pedido e responder na próxima reunião com as entidades representantes dos trabalhadores.

Punições originadas de observações das câmeras de veículos

Os sindicatos questionaram a Copel por punições originadas a partir de imagens das câmeras de veículos, levantando casos abusivos, como de punição de empregado que não estava usando camisa antichama em ocasião em que foi prestar informações a consumidor, o que configura exagero.

A assessoria jurídica dos sindicatos considera que os empregados devem ter ciência do registro de imagens e suas implicações, e direito de defesa em caso de imagens serem utilizadas em punições.

A empresa considera que as observações de atividades pelas câmeras de veículos devem ter o mesmo valor que observações realizadas in loco. Pede que casos de incoerência ou exageros sejam comunicados e tratados pelas especificidades.

Trabalhos em jornada extraordinária, sem sobreaviso

Sindicatos relataram a empresa existência de casos de empregados chamados para jornada extraordinária, não estando em sobreaviso. A empresa levantará possíveis casos, realizando cruzamento de dados, e trará o assunto para debate em próxima reunião.

Situação salarial de liberados para entidades sindicais

Os representantes sindicais solicitam à Copel a adoção de uma metodologia que permita crescimento salarial e de carreira a empregados liberados para atividades sindicais. Muitos dirigentes sindicais têm seus salários defasados em relação aos que trabalham em seus antigos setores e abaixo da média para as funções profissionais.

Para as entidades sindicais, é preciso considerar a importância do dirigente sindical liberado para que situações funcionais problemáticas sejam solucionadas, existam boas negociações de acordos, sejam dirimidos conflitos nas relações de trabalho e existam cuidados com a saúde e segurança do trabalhador.

A empresa vai abrir espaço para o debate futuro desse assunto.

Possibilidade de alteração da jornada de 8h para 6h

A empresa informou o número de empregados que aderiram a redução da jornada de 8h para 6h, propondo a padronização da documentação solicitada para a homologação dos processos junto às entidades sindicais. Houve a concordância com um prazo de 10 dias para homologação do aditivo necessário, com prazo de envio do mesmo até o dia 20 de cada mês. Os documentos necessários ao procedimento serão o contrato de trabalho, o aditivo para a nova jornada e a solicitação de alteração de jornada pelo empregado, manifestada pelo sistema APD. No sistema, o empregado deverá anexar email onde informou o sindicato que o representa de sua opção.

NOVA REUNIÃO MARCADA PARA 19/07

Sindicatos e Copel voltam a se reunir no dia 19/07, onde será encaminhada à empresa a Pauta Unificada de Reivindicações dos Empregados para as negociações do ACT 18/19. Na ocasião, também estarão em pauta a avaliação de desempenho e o seguro da frota de veículos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *