Arquivo da categoria: Notícias

Todas as notícias do sindicato

COLETIVO CSEC PROTOCOLOU A PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DOS COPELIANOS

COLETIVO CSEC PROTOCOLOU A PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DOS COPELIANOS

prot 1

Os representantes do COLETIVO CSEC e da Copel, no protocolo da Pauta Unificada de Reivindicações

Os sindicatos do COLETIVO CSEC protocolaram perante a Copel a Pauta de Reivindicações Unificada dos copelianos de suas bases de representação. A pauta foi entregue no dia 28 de julho, em reunião com essa finalidade, onde estiveram os representantes dos sindicatos que compõem o coletivo e, pela Copel, o Diretor de Gestão Empresarial, Gilberto Mendes Fernandes, acompanhado de Luiz Carlos Cavanha Junior e Ana Letícia Feller, do RH e da comissão negociadora da empresa.

prot 4

Sindicalistas e representantes da Copel conversam sobre as expectativas e cronograma para as negociações

Além de entregar a pauta, os sindicatos sugerem, em ofício, que as negociações visando o Acordo Coletivo de Trabalho – ACT 2016/17 se iniciem na semana de 12 a 16 de setembro. Até lá, a Copel irá analisar as reivindicações dos trabalhadores e preparar sua proposta para o ACT.

A pauta dos copelianos representados pelo COLETIVO CSEC contém 39 reivindicações, agrupadas em três blocos. No bloco inicial estão as

prot 5

A pauta é formalmente recebida pela Copel, que agora irá analisá-la.

reivindicações que são inerentes ao Acordo Coletivo, como a manutenção de conquistas anteriores, reuniões periódicas de avaliação, garantia de emprego e outras. No segundo bloco estão os itens econômicos, como reajuste salarial e reajustes nos demais benefícios que formam a remuneração. No terceiro bloco estão os itens administrativos, como licença maternidade e paternidade, jornada de trabalho e questões de saúde e segurança, entre outros.

Para os sindicatos do COLETIVO CSEC, o período de agora até o início das reuniões de negociação será de mobilização e organização dos copelianos para lutar por suas reivindicações. Os sindicatos têm convicção de que, quanto mais ativa e atenta estiver a categoria, mais fortes estarão os sindicatos na mesa de negociações.

A pauta de reivindicações entregue para a Copel está disponível na íntegra no link abaixo. Confira:

Pauta Unificada ACT 2016-2017

COLETIVO CSEC DISCUTE DADOS E CENÁRIOS PARA AS NEGOCIAÇÕES DO ACT 2016/17

COLETIVO CSEC DISCUTE DADOS E CENÁRIOS PARA AS NEGOCIAÇÕES DO ACT 2016/17

LOGO CAMPANHA 3Na preparação para o Acordo Coletivo de Trabalho – ACT 2016/17, os sindicatos do COLETIVO CSEC ouviram e debateram na manhã desta quarta-feira, 27/07, o cenário político-econômico e os dados que estarão em torno das negociações com a Copel, contando com a assessoria do DIEESE – Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos.

dieese 4O economista Fabiano Camargo, do DIEESE, mostrou e analisou dados como as negociações envolvendo os trabalhadores eletricitários nos anos recentes, as tendências econômicas atuais, os projetos em tramitação no Congresso Nacional que ameaçam direitos dos trabalhadores e as perdas inflacionárias acumuladas nos últimos 12 meses.

Para os sindicatos, ter preparados dieese 2dados e bons argumentos é parte essencial no desenvolvimento de uma boa negociação. O COLETIVO CSEC em breve publicará um jornal específico com essas informações, além de várias matérias no blog dedicadas aos cenários da negociação do Acordo Coletivo.

Fazem parte do COLETIVO CSEC os sindicatos Senge-Pr (engenheiros), Steem (eletricitários de Maringá e região), Sindel (eletricitários de Londrina e região), Sinefi (eletricitários de Foz do Iguaçu), Sinel (eletricitários Ponta Grossa), Siemcel (eletricitários de Cascavel)  e Stiecp (eletricitários de Cornélio Procópio e região).

 

SAIBA O QUE SÃO OS ACORDOS COLETIVOS DE TRABALHO

SAIBA O QUE SÃO OS ACORDOS COLETIVOS DE TRABALHO

LOGO CAMPANHA 2Olá copelianos

 Os sindicatos do COLETIVO CSEC já deram a largada da campanha de mobilização e luta pelo Acordo Coletivo 2016/17. O COLETIVO CSEC é formado pelos sindicatos Senge-Pr (engenheiros), Steem (eletricitários de Maringá e região), Sindel (eletricitários de Londrina e região), Sinefi (eletricitários de Foz do Iguaçu), Sinel (eletricitários Ponta Grossa), Siemcel (eletricitários de Cascavel)  e Stiecp (eletricitários de Cornélio Procópio e região).

 O compromisso do COLETIVO CSEC é lutar pelos eletricitários, com firmeza, respeito, informação e transparência. Para que todos estejam bem informados sobre o que é um Acordo Coletivo, dedicamos essa matéria ao tema.

 O direito aos Acordos Coletivos de Trabalho é garantido no artigo 7º, inciso XXVI da Constituição Federal, para os trabalhadores urbanos e rurais.

O Acordo estipula direitos e condições de trabalho no âmbito da empresa (ou empresas) acordantes e seus empregados. Cabe aos sindicatos representativos das categorias profissionais de trabalhadores, conforme previsto no artigo 611, parágrafo 1º da CLT, a celebração os acordos coletivos de trabalho com a empresa (ou empresas).

O QUE É DATA-BASE?

A data-base de uma categoria de trabalhadores é a época do ano em que ocorre a negociação e revisão das condições salariais e demais condições de trabalho que serão fixadas nos Acordos Coletivos.

Nessa ocasião, os trabalhadores, organizados em seus sindicatos, vão apresentar à empresa (ou empresas) empregadoras, sua pauta de reivindicações de condições salariais, direitos e benefícios, que querem transformar em normas de contrato coletivo de trabalho, ou seja, em direitos comuns dos trabalhadores da empresa.

No âmbito da Copel, a data-base é outubro. As assembleias estão acontecendo agora para aprovar a pauta de reivindicações. A empresa terá um tempo para analisá-la e depois iniciam-se as negociações.

O QUE SÃO AS ASSEMBLEIAS QUE DECIDEM SOBRE O ACORDO COLETIVO?

As assembleias gerais que decidem sobre o acordo coletivo de trabalho são momentos democráticos, onde os trabalhadores, coletivamente, aprovam as reivindicações que apresentarão para a empresa para negociar salários, direitos e benefícios. Essas assembleias estão previstas no artigo 612 da CLT.

Primeiro acontecem as assembleias que formam a pauta de reivindicações. A pauta deve ser definida coletivamente pelos trabalhadores, em assembleias sindicais, para ser apresentada a empresa e negociada entre ela e os sindicatos na data-base, buscando chegar ao Acordo Coletivo.

Depois ocorrem as assembleias que avaliam e decidem diante das propostas apresentadas pela empresa (ou empresas). Sindicatos verdadeiramente comprometidos com os trabalhadores, como os do COLETIVO CESEC, fazem questão de convocá-los, informá-los e ouvi-los nesses momentos fundamentais de decisão.

O QUE É DISSÍDIO COLETIVO?

Em caso de não haver acordo entre os trabalhadores e a empresa (ou empresas) nas negociações previstas para a celebração de Acordos Coletivos, poderá haver ajuizamento de ação de Dissídio Coletivo, buscando que a justiça trabalhista defina uma posição diante do conflito. Do lado dos trabalhadores, quem pode ajuizar ação de dissídio coletivo são as entidades sindicais que os representam, ou órgão competente do Ministério do Trabalho.

ACT 2016/17: COLETIVO CSEC UNIFICA A PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DIAS 26 E 27/7

ACT 2016/17: COLETIVO CSEC UNIFICA A PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DIAS 26 E 27/7

Olá copelianoslogo-campanha-3

Os sindicatos do COLETIVO CESEC, Senge-Pr (engenheiros), Steem (Maringá), Sindel (Londrina), Sinefi (Foz do Iguaçu), Sinel (Ponta Grossa), Siemcel (Cascavel)  e Stiecp (Cornélio Procópio), estão atuando a pleno vapor para conseguirmos um bom Acordo Coletivo de Trabalho – ACT 2016/17, nas negociações com a Copel.

Nos dias 26 e 27/07, os sindicatos se reúnem em Curitiba para unificar as pautas aprovadas nas assembleias de cada entidade sindical. Dia 28, protocolam a pauta unificada na Copel.

As ações estão planejadas de modo que tudo aconteça com boa organização e informações disponíveis aos trabalhadores, constantemente. O compromisso do COLETIVO CESEC é lutar pelos eletricitários com firmeza, respeito às suas prioridades e transparência.

EDITAL DE REGISTRO DE CHAPAS – ELEIÇÕES SINDICAIS 2016

 EDITAL DE REGISTRO DE CHAPAS – ELEIÇÕES SINDICAIS 2016

Pelo presente Edital a Comissão Eleitoral, eleita em Assembléia Geral dos associados do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Produção, Geração, Transmissão, Distribuição e Comercialização de Energia Elétrica de Fontes Hídricas, Térmicas e Alternativas e Gás Natural nas Empresas Públicas e Privadas de Maringá e Região Noroeste do Paraná – STEEM, no exercício das atribuições que lhe conferem o Estatuto Social e a legislação vigente, torna público que no dia 04 de maio de 2016, ás 17 (dezessete) horas, prazo para encerramento de registro de chapas, constatou-se a inscrição de uma única chapa, efetuada no dia 28 de abril as 10h50 min., intitulada: LUTAS E DESAFIOS PELA DEMOCRACIA, para concorrer à ELEIÇÃO para renovação do Sistema Diretivo e Conselho Fiscal para a Gestão 2016-2020, a ser realizada no dia 25 de Maio de 2016, cuja composição é a seguinte: Diretoria Executiva: Membros Titulares: 01 – Diretor Presidente – Claudeir Fernandes; 02 – Secretário Geral – Admilson Antônio Alberti; 03 – Secretário de Finanças – Jonas Braz; 04 – Secretário de Assuntos Jurídicos – Dalnei João Mafra; 05 – Secretário de Comunicação – Lindslei Cantarelli; 06 – Secretário de Formação e Estudos Sócios Econômicos – Natal Ussueli; 07 – Secretário de Saúde e Segurança no Trabalho – Clébis Bruno; 08 – Secretária da Mulher, Etnia e Diversidade – Letícia Cristina Alves; 09 – Secretário dos Aposentados e Pensionistas – Osmar Alves Cavalheiro; Membros Suplentes: 01 – Benedito Paulo de Melo; 02 – Oldemir Rodrigues de Souza; 03 – Edimar de Souza Fanti; 04 – Jackson Antônio dos Santos; 05 – Érica Montarini Gaspani Candelária; 06 – José Carlos Fagundes; 07 – Fernando Shigueo Taramatsu; 08 – Josanne Karine Alves Correia; 09 – José Carlos de Melo. Diretoria RegionalDiretores Regionais de MaringáMembro Titular: 01 – Mauricio Freitas Figueiredo; 02 – André Ulisses Borges. Membro Suplente: 01 – Bruno Henrique Tiene; 02 – Romildo Ussueli. Diretores Regionais de UmuaramaMembro Titular: 01 – Carlos Alberto Ferreira; 02 – Paulo Roberto Massias. Membro Suplente: 01 – Marcos Antônio Gimenes Pires; 02 – Agenor José Gomes. Diretores Regionais de Paranavaí – Membro Titular: 01 – Edilson Ortiz; 02 – Evandro Braga Morovis. Membro Suplente: 01 – Everson Rogério Tavares; 02 – Ricardo Dabroi Marques. Diretores Regionais de Campo MourãoMembro Titular: 01 – André Corghi; 02 – Adilson Senhorinho; 03 – Aline de Cassa de Almeida; 04 – Sandro Aparecido Caramanico; 05 – Adálio Sebastião de Araújo. Membro Suplente: 01 – Eugênio Gadotti; 02 – Rogério Nogueira; 03 – Janderson Paulo Bonfim; 04 – Juliano Maia Ferreira; 05 – Aldri Carvalho Lobato. Diretores Regionais de CianorteMembro Titular: 01 – Márcio Ramos da Cruz; 02 – José Laércio Ghirardi Fusco. Membro Suplente: 01 – Altiere Elder dos Santos; 02 – Wilson Barbosa de Oliveira. Delegados Sindicais RegionaisDelegados Sindicais de Maringá: 01 – Carlos Henrique de Carvalho; 02 – Edson Pagangrizo Spagnol; 03 – Ginivaldo Elias Cordeiro; 04 – Sérgio Alexandre dos Santos. Delegados Sindicais de Umuarama: 01 – Arlindo Caldeira da Silva Junior; 02 – Carlos Henrique de Souza Silva; 03 – Davi Pereira da Silva; 04 – Jéssica Lays Corrêa; 05 – Noel Moreira da Silva; 06 – Wilson Adriano Caetano. Delegados Sindicais de Paranavaí: 01 – Ailton Lourenço; 02 – Carlos Freire Amorim; 03 – Charles Carraschi; 04 – Nelson Rosa Filho; 05 – Reginaldo Silva; 06 – Sérgio Bento Lolli; 07 – César Alexandre dos Santos. Delegados Sindicais de Campo Mourão: 01 – Alceu do Nascimento Corrêa; 02 – Cícero Ferreira da Silva; 03 – Claudinei Gimenes Hernandes; 04 – Fábio Imbério; 05 – Iria Dsiedzic Nogara; 06 – Jaime Fernandes de Souza Junior; 07 – José Garaluz; 08 – Leonardo Smith Wanderbrooch; 09 – Luiz Alberto do Nascimento; 10 – Paulo Bortolucci; 11 – Thiago Zanini Kiwel. Delegados Sindicais de Cianorte: 01 – Aguinaldo José Romeiro; 02 – Claudecir de Oliveira Marani; 03 – Raul Aparecido Frois, 04 – Rubens Divino dos Santos. Conselho FiscalMembros Titulares: 01 – Jaime de Campos; 02 – Osdair Ambrósio de Souza; 03 – Geraldo da Rocha de Souza. Membros Suplentes: 01 – Rederval José Teixeira; 02 – Nivaldo Miranda; 03 – Claudio Rodrigues de Souza. Representantes dos AposentadosMembros Titulares: Maringá: 01 – Orlando Barcos. Umuarama: 01 – Sebastião José de Souza. Paranavai: 01 – Cicero Alves Batista. Membro Suplente: 01 – Ubirajara Lemos da Silva. Campo Mourão: 01 – Laércio Zarsk. Cianorte: 01 – Luiz Rodrigues de Souza. Intitulada chapa 1 (chapa um). De acordo com as disposições estatutárias fica aberto o prazo de 5 (cinco) dias para impugnações.

Maringá, 04 de maio de 2016.

MARIA LÚCIA F. GOMES BERTIN

COMISSÃO ELEITORAL

PRESIDENTE

 

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEIÇOES SINDICAIS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEIÇOES SINDICAIS

 

Pelo presente Edital a COMISSÃO ELEITORAL, eleita em Assembléia Geral dos associados do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Produção, Geração, Transmissão, Distribuição e Comercialização de Energia Elétrica de Fontes Hídricas, Térmicas e Alternativas e Gás Natural nas Empresas Públicas e Privadas de Maringá e Região Noroeste do Paraná – STEEM, no exercício das atribuições que lhe conferem o Estatuto Social e a legislação vigente, torna público que a ELEIÇÃO para a composição do Sistema Diretivo e Conselho Fiscal para a Gestão 2016-2020, realizar-se-á na forma Estatutária, (Art. 56 e seguintes), conforme disposições abaixo: I – No dia 25 de maio de 2016, no horário das 08h às 17h30, em primeira convocação, com o comparecimento de no mínimo 50% (cinqüenta por cento) mais um dos associados com capacidade para votar (Art. 94); II – No dia 10 de junho de 2016, no horário das 08h às 17h30, em segunda convocação, com o comparecimento de 40% (quarenta por cento) mais um dos eleitores, (Art. 95 – Parágrafo Primeiro); III – No dia 27 de junho de 2016, no horário das 08h às 17h30, em terceira convocação, com o comparecimento de 30% (trinta por cento) mais um dos eleitores, (Art. 95 – Parágrafo Segundo); IV – Em caso de empate entre as chapas mais votadas realizar-se-ão novas eleições no dia 10 de junho de 2016, nos mesmos locais e horários anteriormente citados, limitada às eleições às chapas em questão (Art. 101); V – Anulada as Eleições, outras serão convocadas no prazo máximo de 90 (noventa) dias após a decisão anulatória, conforme o Estatuto da Entidade; VI – LOCAIS DE VOTAÇÃO – Serão instaladas 6 urnas fixas, sendo uma (01) na sede do sindicato em Maringá, uma (01) na  Copel Maringá, uma (01) na Copel Paranavai, uma (01) na Copel Cianorte na Agência das 08h as 12h e na Manutenção das 13h as 17h30, uma (01) na Copel Umuarama e uma (01) na Copel Campo Mourão. A critério da comissão eleitoral poderão ser instaladas urnas itinerantes que percorrerão itinerários pré-estabelecidos; VII – DO PRAZO PARA REGISTRO DE CHAPAS E DA SECRETARIA – O prazo para registro de chapas será de 10 (dez) dias, a contar do dia seguinte da data da publicação do presente edital. O registro deverá ser efetivado na secretaria do Sindicato, situado à Rua Vitória, nº 109, na cidade de Maringá-Pr., de 2ª (Segunda-feira) às 6ª (Sexta-feira), nos horários das 08h00 às 11h30 e das 13h00 às 17h00, onde permanecerá pessoa habilitada para recebimento de documentação, fornecimento de recibos de inscrição de chapas e informações concernentes ao processo eleitoral; VIII – DO PROCEDIMENTO PARA O REGISTRO DE CHAPAS – O requerimento para o registro de chapas, em duas vias, poderá ser assinado por qualquer de seus componentes, e deverá ser dirigido à Comissão Eleitoral, acompanhado da documentação de que trata o Art. 60, incisos I e II e seu Parágrafo Único do Estatuto da Entidade; IX – O prazo para impugnação de candidaturas será de 05 (cinco) dias a contar da data de publicação nominal das chapas registradas; X – Cópias do presente Edital serão afixadas na sede do Sindicato e nos principais locais de trabalho.

 

Maringá, 18 de abril de 2016.

Edital de Convocação Eleições STEEM

Maria Lucia Ferreira Gomes Bertin

Presidente da Comissão Eleitoral

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEIÇÃO COMISSÃO ELEITORAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

 

Por este Edital a Diretoria Executiva do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Produção, Geração, Transmissão, Distribuição e Comercialização de Energia Elétrica de Fontes Hídricas, Térmicas e Alternativas e Gás Natural nas Empresas Públicas e Privadas de Maringá e Região Noroeste do Paraná – STEEM, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, convoca todos os empregados e empregadas da Companhia Paranaense de Energia – COPEL, e Eletrosul Centrais Elétricas S.A, associados/as do sindicato, para se reunirem em sessão de Assembléia Geral Extraordinária, no dia 08 de Abril de 2016, na sede da ARCOM – Associação Recreativa Copel Maringá, sito a Rua Caxambu, nº- 388, Jardim Alvorada, CEP-87030-340, Maringá, Paraná, às 19h00min., em primeira convocação e às 19h30min., em segunda convocação, para deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: Eleição da Comissão Eleitoral, que conduzirá o processo das eleições Sindicais do Sistema Diretivo do STEEM para o Quadriênio 2016/2020.

 Maringá, 30 de março de 2016.

 Claudeir Fernandes

Dir. Presidente

Edital convocação Eleição Comissão Eleitoral

PRESSÃO POR AUTORIZAÇÃO DE ACESSO A DECLARAÇÕES DE IR NA COPEL, OUTRA VEZ

PRESSÃO POR AUTORIZAÇÃO DE ACESSO A DECLARAÇÕES DE IR NA COPEL, OUTRA VEZ

 

 

No final do ano passado o COLETIVO CESEC já questionou a Copel por agir impositivamente para obter dos copelianos uma autorização de acesso às suas declarações de imposto de renda. A legislação obriga ao empregado o fornecimento de informações de bens patrimoniais, não a assinatura de autorização de acesso a Declaração de IR. Pela legislação, o empregado tem opção de diferentes formas de prestar as informações:

A Lei nº – 8429/1992, que prevê ao servidor público e aos demais trabalhadores prestar declaração dos bens, direitos, valores e obrigações que integram o respectivo patrimônio, prevê mais de uma opção para atender essa exigência. Uma delas é a autorização de acesso às informações da Receita Federal. Outra é uma Declaração de Valores e Bens, que o empregado preenche e entrega. Essas possibilidades estão previstas e descritas tanto no “Portal do Servidor” do governo paranaense quanto no portal de comunicação da Copel, onde há perguntas e respostas” com orientações sobre o assunto.

O trabalhador pode optar pela forma que melhor lhe convier para emitir tal documento e atender a Lei em questão. Ocorre que, na prática, a Copel tem optado no lugar do trabalhador, com gerencias interferindo impositivamente. No final do ano passado, o assunto já foi discutido com a empresa, que ficou de mudar seu procedimento e informar o quadro gerencial sobre os direitos dos empregados, evitando pressões sobre eles. Pelo jeito, no entanto, essa orientação não foi feita, ou foi falha, já que os sindicatos estão recebendo reclamações de copelianos que se sentem constrangidos e pressionados a assinar autorizando acesso à Declaração.

Os sindicatos vão retomar o assunto com a Copel e orientam os trabalhadores a não aceitar constrangimentos, optando pelo que considerem o melhor procedimento para declaração de seus bens.

 

Anapar denuncia problemas de governança na Fundação Copel

Documento enviado à Previc aponta fatos preocupantes, trazidos Anaparpor representantes dos participantes nos conselhos Deliberativo e Fiscal

A partir de informações e documentos trazidos por participantes da Fundação Copel, a Anapar encaminhou, no final do mês de fevereiro, denúncia à Diretoria de Fiscalização da Superintendência de Previdência Complementar – Previc -, sobre desrespeito às boas práticas de governança por parte dos dirigentes da entidade, solicitando que sejam tomadas providências para se estabeleça a boa relação de governança entre os órgãos colegiados. Na denúncia, são relatados e documentados fatos ocorridos desde 2011, que evidenciam falta de transparência, ocultação de informações e bloqueio da fiscalização e de procedimentos investigatórios.

Dentre os fatos que justificam a denúncia, saltam aos olhos o bloqueio dos trabalhos de auditoria determinada pelo Conselho Deliberativo em 2012 e a contratação de uma empresa para prestação de serviços de TI, com contratação quase simultânea para o quadro próprio da Entidade de um dos sócios da empresa para gerenciar o contrato, além da ingerência da Patrocinadora em diversas decisões sobre contratação de pessoal, de assessorias e de investimentos.

Além da denúncia, a Anapar também registrou protocolo de ofício à Diretoria de Análise Técnica da Previc apontando diversas irregularidades e ilegalidades numa tentativa em andamento de alteração do estatuto da Fundação Copel, onde são inseridos diversos instrumentos de cerceamento ao direito dos participantes em se fazerem representar na gestão daquela Entidade.

No entender de Claudia Ricaldoni, presidente da Anapar, “A ausência de transparência e o desrespeito à autonomia dos órgãos de governança, infelizmente, são prática comum em Fundos de Pensão, sejam ligados a empresas da iniciativa privada ou a estatais. Mas o mais grave é que a história recente demonstra problemas com a governança das entidades podem se traduzir em problemas mais graves de ordem financeira, que a médio prazo se materializam em déficits ou até insolvências dos Fundos. Analise-se o caso do Postalis, principal alvo da CPI em andamento na Câmara Federal, verificando como foi a gestão dele no decorrer de uma década, para comprovar que nossas preocupações quanto à governança são fundamentadas”.

“No nosso entendimento, os fatos relatados e documentados trazem uma amostra significativa de problemas de governança envolvendo a gestão da Fundação Copel”. Queremos que a Previc tome as medidas cabíveis para defender os participantes, promovendo fiscalizações mais contundentes em relação à governança dos Fundos, e prevenindo problemas futuros e evitando prejuízos aos participantes, afirma Claudia

ALTERAÇÃO DE DATA, LOCAL E HORÁRIO DA ASSEMBLEIAS DE MARINGÁ DO AC/PL-2015/2016

ALTERAÇÃO DE DATA, LOCAL E HORÁRIO DA ASSEMBLEIAS DE MARINGÁ DO AC/PL-2015/2016

 

EDITAL RESUMIDO DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIAS GERAIS EXTRAORDINÁRIAS

AVALIAÇÃO E DELIBERAÇÃO SOBRE A PROPOSTA DA COPEL

PARA O AC-PLR – 2015 / 2016

 

DIA               HORAS                CIDADE                                 ENDEREÇO 

  18/02 5ª Feira 17hs30 Maringá Av. Bento Munhoz da Rocha Neto, nº 896. – SEDE COPEL

PAUTA PARA DISCUSSÃO NAS ASSEMBLÉIAS

Edital resumido para as Assembleias Gerais Extraordinárias Unificadas com todos os empregados da COMPANHIA PARANAENSE DE ENERGIA – COPEL, representados pelos Sindicatos: SINDEL; STIECP; SINEL; SINDELPAR; SINDENEL; SIEMCEL;; SINTESPAR; SINTEC-PR; SINDESPAR; SENGE-PR; SINEFI; SINDASP; SINAP; SINSEPAR; e STEEM para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia:

Item 01

Discussão e deliberação da proposta da COPEL para o Acordo Coletivo de Participação nos Lucros e/ou Resultados – AC/PLR –2015 pagamento em 2016;

Item 02

Outros assuntos de interesse da categoria