SINDICATOS COBRAM JUSTIÇA AOS RESULTADOS PRODUZIDOS PELOS COPELIANOS

logo-campanha-2Os sindicatos, por seu lado, registraram que a contribuição dos trabalhadores para o crescimento do número de consumidores atendidos, para a satisfação dos consumidores e para a produtividade geral da Copel só faz crescer no correr dos anos. As situações de crescimento ou diminuição temporária de arrecadação não tem a ver com as atividades dos copelianos. Pelo contrário, nesse período todos os trabalhadores da Copel empreenderam grandes esforços para contribuir e melhorar o desempenho da empresa.

Os sindicalistas comentaram que os lucros expressivos e recordes que a Copel tem registrado nos anos recentes, inclusive em 2016, da ordem de R$ 1,132 bilhão no primeiro semestre, precisam ser distribuídos não só aos acionistas, mas transformados em melhor remuneração e benefícios aos trabalhadores.

Com a contribuição de Fabiano Camargo, economista do DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, os sindicatos fizeram importantes contrapontos ao cenário apontado pela Copel.

Um dos argumentos é que ganhos com geração de energia não tem como ser constantes, pela sazonalidade de mercado, porém, a diminuição da arrecadação com venda de energia e menores tarifas tem compensação parcial com menores custos de geração, principalmente pelo não acionamento da UEG (cerca de R$ 600 milhões em 2016), que ajudam a aliviar a situação de queda dessas receitas.

Fabiano registra que os dados mais gerais da distribuição mostram crescimento de 12% da receita do fornecimento de energia. Se houve redução do preço das tarifas, ponderou Fabiano Camargo, também há certa compensação porque diminuem os custos da Copel com a compra de energia, que foram expressivos, com redução de R$ 1,3 bilhão no consolidado do grupo, resultando em queda de quase 30% em relação ao primeiro semestre de 2015. Não podemos apenas projetar o lado negativo, ponderou Fabiano, pois a situação geral da Copel é de equilíbrio e crescimento.

O blog do COLETIVO CSEC continuará a fornecer informações do andamento das negociações. Acompanhem.

Confira também

GOVERNO EDITA MEDIDA PROVISÓRIA SOBRE A REFORMA TRABALHISTA, MAS NÃO ATENUA SEUS DANOS

GOVERNO EDITA MEDIDA PROVISÓRIA SOBRE A REFORMA TRABALHISTA, MAS NÃO ATENUA SEUS DANOS Publicado em 16 de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *